Subscribe Now
Trending News
Sites porno

Reality Kings – A ascensão de um reinado

Quando olhamos para indústria, alguns nomes deixam seus legados, basta citá-los que todos vão reconhecer. Esse é o poder de uma marca, por essa razão que o Reality Kings se mantém há duas décadas no reinado dos sites porno.

Reality Kings, a origem do reinado

Reality Kings

São em tempos ociosos que ideias surgem, foi assim que universitários de Miami tiveram este iinsight e criaram o Reality Kings em 2000. Nenhum deles almejava algo grandioso, apenas queriam curtir. Não imaginavam que de uma simples ideia iria surgir um império do entretenimento adulto.

Cum Fiesta, a primeira empreitada

Reality Kings

Cum Fiesta (festa da gozada no português literal) foi o primeiro título, que obteve uma repercussão instantânea da produção. Entretanto, a empreitada dos estudantes não tinha o foco de ser uma produção de qualidade.

A ideia das produções concentravam-se no estilo gonzo e beiravam o amadorismo, mostrando as atrizes chegando numa casa e batendo na porta, para depois realizarem o sexo na curtição e loucura.

O Cum Fiesta foi abandonado em 2017, mas vale dar uma olhada para encontrar atrizes porno famosas no início da carreira, como Sara Jay, se divertindo em pleno 2002. Época quando éramos felizes e não sabíamos. 

Captain Stabbin, navio e safadeza

Conforme os criadores percebiam que o público ansiava em consumir sempre mais, as ideias afloravam e novas criações surgiam. Não demorou para o Reality Kings criar mais títulos, Captain Stabbin foi um deles, sendo uma mistura de alto mar com muita safadeza. Aqui as atrizes porno faziam sexo em um barco em alto mar, mas sempre com uma pitada do humor. 

Aliás, foi com o Captain Stabbin que as coisas tomaram outro nível. Os criadores começaram a se preocupar mais com qualidade visual, com cenas bem filmadas, porém sem abandonar o seu estilo gonzo. 

Milf Hunter, o povo ama as milfs

Como o BangBros, rival poderoso do Reality Kings, produzia o BangBus, onde atrizes eram abordadas na ruas e entravam na van para fazer sexo. Assim sendo, o rei precisava  ter algo a altura para competir.

Desse modo nasceu o famigerado Milf Hunter, título em que o ator abordava milfs nas ruas para brincadeiras calientes. 

Se você viveu o auge dos programas de download, deve conhecer o Napster e o Limewire. Nessa época a busca por pornografia de mulheres milfs era estrondosa, e nos downloads sempre surgia um vídeo da Sara Say (olha ela aqui de novo!) no supermercado, a cena era do Milf Hunter. No fim, a pirataria apenas ajudou a sustentar a marca para mais usuários.

Nem tudo é glória para o Reality Kings

Em 2010, o Reality Kings foi processado pela FAMU (Florida A&M University) sobre as famosas “sex tapes” realizadas no Dare Dorm, título do site. A cena em particular abrangia uma orgia estrelada pelos alunos da faculdade. Fato que deixou a instituição nadinha feliz, alegando que o site manchava drasticamente a sua imagem.

Claro que, o Reality Kings não pensou duas vezes e ressaltou que as imagens gravadas foram feitas no estúdio, sendo que os alunos eram apenas atores. Entretanto, a universidade não comprou a desculpa, e para não piorar as coisas, o site preferiu pagar 120 mil dólares e seguir com a vida.

E se você acha que as coisas pararam por aí, está enganado meu caro(a), logo depois, 26 membros de gravadoras processaram o Reality Kings por usar músicas protegidas por direitos autorais de grandes artistas em quase 200 cenas.

Isso aconteceu porque o Reality Kings filmou muitas cenas em clubes noturnos reais, onde faixas de David Guetta e Madonna dominavam as paradas musicais.

Em 2011, longe dos processos cessarem, o Reality Kings voltou aos tribunais, desta vez com o processo movido por uma mãe que alegava que sua filha menor de idade havia gravado cenas para o estúdio. O site demostrou que a menor de idade mostrou documentos falsos, não apenas para eles, mas para agências estaduais e federais.

Quem é o dono do Reality Kings?

Reality Kings

Com retorno financeiro, os universitários abriram a RK Netmedia, um aglomerado do Reality Kings. Em 2014, a MindGeek (dona do Pornhub) enxergou potencial no reinado e adquiriu o Reality Kings para somar nas suas aquisições ao lado do Brazzers.  Apesar de todos serem do mesmo nicho, a ideia é que cada um represente seu estilo original para atender perfis diferenciados de públicos.

Seus perfis na rede

Reality Kings

O Reality Kings possuí 21 anos de vida na indústria, o que para qualquer site é história. Um legado enorme, repercutido nas buscas feitas pelos usuários na rede.  O exemplo disso é o perfil do site no Pornhub que arrebata 1 bilhão de visualizações. Você tem noção disso?

Suspire com o Reality Kings

Gostou do post? Conte nos comentários o que você deseja ver no Suspiro e não se esqueça de nos seguir nas redes sociais: 

 
Deixe seu comentário

Posts relacionados