Subscribe Now
Trending News
Sexworkers

Juliana Ferreira: “Eu adoro trabalhar com isso”

Juliana Ferreira

Juliana Ferreira é fascinação, o encontro da doce e pura aceitação do seu interno ser. A maneira como demonstra sua sensualidade é digna de motivação e profundidade, capaz de transbordar os solenes desejos de forma natural.

Carismática, batemos um papo sobre seus passos como sexworker e a necessidade de inovar a cada nova oportunidade.

Juliana Ferreira

Juliana Ferreira
Juliana Ferreira

Para começar a nossa conversa, conte-me como surgiu a ideia de trabalhar com conteúdo adulto e quais foram os caminhos que te levaram até onde está?

Sempre gostei da ideia de trabalhar com algo relacionado à sensualidade e erotismo. Já trabalhei promovendo festas de swing e planejei ter uma casa de Swing chamada 4house. Porém devido à uma infelicidade com os demais sócios e uma divergência de ideias entre eles o projeto não pode ser continuado.

Eu e meu marido temos relacionamento aberto, e ele sempre atuou como supervisor/líder de grandes empresas como GM, Vivo, Uber etc, mas não era o que ele queria, o que acabou acarretando diversos problemas relacionados ao stress (ansiedade, burnout etc) até que o mesmo saiu da última empresa em que trabalhava. Foi o gatilho que precisava para começar com o conteúdo adulto: iríamos trabalhar juntos, tínhamos contatos com fotógrafos, modelos e vontade para seguir com algo que queríamos (ele como designer editando minhas fotos e vídeos e eu como Alt Model que era o que sempre quis).

Há quanto tempo você trabalha com conteúdo adulto?

Especificamente vendendo conteúdo adulto há 3 meses o que mudou totalmente a minha vida e hoje conquistamos nossa independência financeira através desse trabalho. Mas já trabalhei como presença VIP muito antes disso em grandes casas de Swing em SP.

Juliana Ferreira

O que mudou na sua vida desde que assumiu esse trabalho?

Tudo! Hoje tenho minha independência financeira, consigo ter mais tempo para mim e minha família, vejo um grande crescimento profissional tendo contato com modelos e clientes de outros países, estudando sobre outras moedas, adquirindo conhecimento sobre fotografia, marketing, etc, e conquistando um networking cada vez maior no meio. Fora a autoestima que melhorou muito!

Sobre criação e publicação de conteúdos nas plataformas. Como é o seu processo criativo para bolar os seus conteúdos? Você se inspira em alguém, pesquisa algum tema ou recebe sugestões dos seus seguidores?

Me inspiro em diversas modelos como a @docehisismit@kinechann@soyvictoriamatosa@dehfurgange a @angieacoss18. Além disso geralmente faço diversos cursos sobre o nicho, estudo ângulos para melhorar as fotos. Mas uma coisa não pode faltar: música. Sempre escuto música para me soltar nas fotos (geralmente funk ou algo bem sensual kk). Mas com uma certa frequência analiso os feedbacks e pedidos dos fãs sim ^^.

Juliana Ferreira

Trabalhar com conteúdo adulto mexe com você? Que tipo de sensação esse trabalho provoca na sua essência como pessoa?

É uma faca de dois gumes: eu adoro trabalhar com isso. O fato de me sentir sensual, fazer o que gosto, trabalhar com erotismo que é algo que gosto, falar com pessoas do meio, usar meus brinquedinhos (haha) é algo que me fascina. Fora o fato que trabalhando com isso posso alcançar um dos meus principais objetivos: mostrar que qualquer mulher, independente de classe social ou biotipo pode ser bonita e desejada.

Mas em contrapartida, esse meio sofre um tabu imenso: muitas pessoas não veem esse meio como um trabalho legítimo e isso acaba gerando haters. Graças a Deus eu nunca passei por isso, mas tenho certeza de que um dia irei passar, é algo normal. E isso gera um certo desconforto por medo da exposição que pode se tornar exacerbada.

Na sua concepção, o que é ser sensual? Como que você lida com a sua sensualidade?

É algo muito individual, acredito que não exista um padrão para responder o que é ser sensual e sim em “como ser”: é quase uma arte; desde o primeiro contato demonstrando sinuosamente o desejo, a conversa, o toque, a criatividade, tudo pra criar uma atmosfera (seja presencial ou virtual) para deixar o parceiro louco de tesão.

Isso deve ser personalizado muito com cada cliente e com plataformas como Onlyfans por exemplo, que são vários assinantes de uma única vez, tenho sempre que me reinventar para transmitir isso a todos. Mas uma coisa não pode faltar: você tem que se amar, se desejar, se sentir gostosa. Não tem como você fazer uma pessoa acreditar em algo que você mesma não acredita.

Juliana Ferreira
Juliana Ferreira

Qual é a razão dos seus suspiros?

Hmmmm, pergunta interessante kkkkk. Tudo que é diferente e proibido me causa desejo. Mas adoro quando me tratam com carinho e como uma princesa (a princesa que a Disney só vai ter quando for +18 kkk). Inteligência e originalidade me deixam com suspiros ofegantes rsrs. Mas saindo do papo “safadeza” o que me deixa suspirando de felicidade são meu marido e meu filho kk.

O que te deixa mais ligada, erotismo ou pornografia e por quê?

Um dos significados de erotismo é tendência em experimentar a excitação sexual mais prontamente que a média das pessoas e o estímulo sexual sem apresentar o sexo de forma explícita, que é o que diferencia de pornografia em si.

Por isso prefiro o erotismo: ele tem um significado muito mais amplo e bonito que remete muito a sensualidade que falamos antes. Apesar de eu fazer conteúdo explicito, acho muito mais legal o erotismo.

Juliana Ferreira
Juliana Ferreira
Juliana Ferreira

Dentro da produção de conteúdo adulto, você procura se mostrar de uma maneira mais artística, ou segue uma forma mais espontânea, deixando fluir naturalmente?

Os dois. Gosto de “puxar” mais para o lado artístico. Mas entendo que isso pode “afastar” um pouco minha conexão com o público. Fotos comuns, de uma mulher gostosa e safada no dia a dia é algo que curto também. Inclusive meu próximo material que será divulgado no meu Onlyfans e no meu Instagram segue bem essa linha de raciocínio (ops, spoiler kk).

Ser exibicionista pode ser considerado uma forma de expressão artística?

Siiiiiiiiiiiim! Um dos meus primeiros trabalhos foi nú artístico com o meu fotógrafo atual Eduardo Cardoso ( @ecardoso_clicks) e foi incrível. Se exibir nada mais é do que demonstrar tanto como você é por fora como “por dentro”. A adrenalina, o despertar do desejo, a conquista pelo erotismo, e até mesmo a demonstração da beleza em formas naturais e livres no caso do nu artístico é lindo!

Juliana Ferreira
Juliana Ferreira
Juliana Ferreira

Família, amizades e relacionamentos amorosos, como que é a relação deles com o seu trabalho?

Bom, hoje sou casada e como meu relacionamento é aberto não tenho problemas com isso. Meu marido me apoia muito e me ajuda bastante com as fotos, criação de conteúdo etc. Meu filho é novinho (8 anos) e expliquei em parte o que faço: disse que sou modelo e trabalho mostrando pra todo mundo que uma mulher pode ser bonita e que ele sempre deve respeitar uma mulher independente do trabalho que ela exerça.

Graças a Deus a educação e ambiente familiar do meu filho sempre foram ótimos e hoje não tenho problemas com ele também apesar de que ele só vai conhecer toda a dimensão do meu trabalho na hora certa.

Mas com família… aí é complicado. Algumas irmãs e outros parentes sabem e me apoiam muito. Mas outros eu não contei e confesso que tenho um certo receio. Eles foram criados com uma cultura e educação diferentes e isso com certeza será um choque. Sei que uma hora ou outra saberão, mas ainda estou pensando em como “suavizar” as coisas quando for contar.

O que as pessoas irão ver, acessando os seus conteúdos?

Uma das frases que está na bio do meu Onlyfans é “meu objetivo é te deixar louco de tesão” e é exatamente isso o que tem lá: sexo explícito, masturbação, nudes, fotos sensuais…, mas o meu diferencial é ser diferente. Não tem nada igual a qualquer outro Onlyfans ou conteúdo vendido na internet. Sempre trabalho de forma criativa e costumo brincar nas minhas redes que “sempre crio um novo jeito pra te fazer gozar” e costumo aplicar isso no meu conteúdo.

Juliana Ferreira

Já sofreu algum tipo de preconceito por conta de trabalhar com conteúdo adulto? Você acha que nos dias de hoje as pessoas já entendem melhor e aceitam o(a) profissional que segue esta profissão?

Sim. E como disse anteriormente um dos principais motivos para trabalhar com conteúdo adulto é exatamente esse: mostrar que a plusize tem espaço no Onlyfans ou qualquer outra plataforma de venda de conteúdo adulto.

Como disse recentemente a modelo Sheyla Fong em um canal da UOL chamado Cenapop, a plussize pode sim trabalhar nesse meio e temos muito mercado. Só que o cuidado tem que ser grande: ainda sofremos muito preconceito com isso pelo padrão imposto na sociedade devido à antiga ideologia da indústria da moda.

E ao falar sobre isso é interessante ter cuidado para não romantizar o excesso de peso, mas demonstrar a sensualidade de uma mulher plus. Quando comecei com esse trabalho já sabia a batalha que enfrentaria e isso me motivou ainda mais, e hoje tenho relatos de garotas que me agradeceram por ter ajudado elas a se sentirem mais bonitas e confiantes devido ao meu trabalho ^^.

Você acredita que em pleno século XXI, com a expansão da comunicação, redes sociais e as plataformas de relacionamento, falar de sexo e expressar a sexualidade ainda é um tabu na cabeça do brasileiro?

Não deveria, mas sim, ainda é um tabu. Acredito que nessa próxima geração Alpha, quando se tornarem adultos, isso talvez não seja um problema, mas ainda é. Muitos adultos de hoje foram criados por pais que ainda acreditavam que falar de sexo era feio e errado e acabaram sendo assim também.

As campanhas para educação sexual como as recentes aplicadas pela Fiocruz e as redes sociais unindo opiniões e trazendo muito conhecimento à tona estão fazendo com que falar sobre isso se torne cada vez mais fácil. A Erotika Fair, existe desde 1997 e hoje é o maior evento sobre erotismo e sexualidade e tem tido cada vez mais visitantes.

Fora o fato que o mercado de venda de conteúdo adulto tem crescido cada vez mais, um exemplo disso é o Onlyfans que cresceu 553% em relação ao ano anterior da pandemia e somos um dos poucos nichos que não são abalados pela crise por trabalharmos com todo o mundo; costumo brincar que cabelereiro e nichos voltados ao sexo nunca vão falir: você sempre precisa cortar cabelo e sempre tem alguém querendo transar ou se masturbar kkk.

Isso confirma que cada vez mais o assunto vem sendo desmistificado e o tabu vai perdendo força ao longo desses últimos anos.

Juliana Ferreira

Trabalhar e lidar com as pessoas não é tarefa fácil em nenhuma profissão. Você geralmente tem jogo de cintura para lidar com gente “desagradável”? Qual o tipo de atitude que você toma quando uma pessoa está começando a se tornar inconveniente?

Aaaaaa isso é uma grande verdade kk. Bom, eu sempre trabalhei com vendas e isso me ensinou a ter esse jogo de cintura. O que faço é entender muito sobre o que to fazendo e quando alguém encher o saco, rs, eu dou uma boa dose de conhecimento e educação. Geralmente resolve, em 99,99% dos casos. Quando não resolve eu bloqueio mesmo (uma das vantagens de trabalhar virtualmente) kkkkkk.

Ligado a pergunta anterior, o contato e a exposição pessoal podem se tornar estafante? Como que você lida com o estresse e a ansiedade? Faz algum tipo de terapia ou alguma outra atividade para relaxar?

Realmente. No início eu tive crises de ansiedade, medo…, mas são ossos do ofício. Se você quer atingir o sucesso um dia, tem que lidar com os obstáculos que ele impõe. Mas pra lidar com isso eu costumo ir à academia, praticar hobbies que gosto como ver filmes, escutar música e principalmente praticar uma espécie de meditação: tento refletir sobre o problema que está me afetando e porque ele me afeta. Mas em situações mais graves eu procuro um psicólogo e/ou psiquiatra sim!

Você enfrenta ou já enfrentou dilemas na sua vida? Se já enfrentou ou enfrenta, como é que você lida com isso?

Sim. Já sofri muito bullying por ser gorda ainda quando criança. Além de meus “amigos”, minha própria família como irmãos e mãe. Minha mãe por exemplo tinha a obsessão que eu fosse magra e que a pessoa só podia ser bonita se fosse magra. Me fazia dançar por horas a fio e se eu parasse eu apanhava.

Isso me abalava muito e ao longo da vida trabalhei meu emocional e fui aprendendo a me amar do jeito que sou. Por isso hoje pra eu vender conteúdo adulto é muito mais que “tirar foto pelada” e mostrar que qualquer pessoa pode ser bonita e que deve ser respeitada independente do que faça.

Qual é sua ligação com seus seguidores? Eles são atenciosos?

Sim! Sou muito grata por ter fãs tão carinhosos. Gosto muito das brincadeiras, admiração demonstrada por eles e apoio. Tento sempre mostrar o quanto sou grata e gosto muito de como fui recebida principalmente no Instagram!

O que você não tolera presenciar trabalhando nesse meio?

Não gosto de muitas coisas. Tanto das profissionais quanto de certos seguidores. Exemplo: vejo que algumas modelos não levam esse trabalho a sério ou até mesmo não consideram como trabalho.

Não respeitam outras modelos, tentam denegrir a imagem de outras profissionais e pior: não são nem um pouco profissionais em seu trabalho. Isso me deixa muito triste, “sujar” a imagem das alt models. E da parte dos seguidores: alguns te xingam, faltam com respeito mesmo, das piores formas. É muito chato lidar com isso.

Existem pessoas que te inspiram para você fazer o seu trabalho?

A tem sim. Falando de inspiração como modelo existem modelos como a Luana Kazaki, a Victoria Matosa, Kine Chan, Doce… Me inspiro muito nelas. Agora que me apoiam e me inspiram são minhas irmãs e meu marido que sempre vejo como são abertos pra experiências diferentes e como me apoiam nessa profissão.

Você consegue ter um momento que é só seu? O que gosta de fazer nas horas vagas?

Sim, são poucos kk, mas tenho. Costumo ver filmes e séries e cuidar da cabecinha kkk.

Uma música que transpira tesão em sua vida?

AAAAAAAAAA Snow White de Dennis Lloyde, sou doida por essa música kk.

Para as pessoas que desejam iniciar na produção de conteúdo adulto, há alguma dica que você gostaria de compartilhar com eles(as)?

Sim: Vai ser difícil. Acredite nisso! Se você quer só vender conteúdo adulto será mamão com açúcar rs. Mas se você quer realmente se destacar no meio será bem difícil. São muitas coisas pra aprender e muitos desafios, mas a dica que tenho é que você nunca pode desistir, por mais impossível que pareça.

Hoje sustento uma família inteira com a renda do meu trabalho e sou muito feliz por isso. Sempre acredite que pode e você conseguirá. E não menos importante, como diz meu marido “conhecimento não ocupa espaço”, então sempre foquem em aprender mais e mais sobre esse meio, como crescer, como tirar fotos, busquem referencias… isso vai te ajudar mais do que imagina!

Chegou a hora! Abra seu coração e deixe um recado para nossos leitores e seus fãs.

Primeiro eu gostaria muito de agradecer a vocês do Suspiro por essa oportunidade. Vocês são incríveis! De verdade. Vocês sempre terão um cantinho quentinho no meu coração kk. E para os fãs e leitores: muito obrigado pela atenção, pelo carinho, por dedicarem um tempinho pra lerem sobre mim aqui e por terem me apoiado tanto! E é como sempre falo no meu bordão: “grande e gostosa, ao seu dispor” rs.

Deixe seu comentário

Posts relacionados