Subscribe Now
Trending News
Sexworkers

Julia: “Mudou a relação com meu corpo e prazer”

  • Nome: Julia
  • Idade: 26
  • Cidade: São Paulo
  • Twitter: @_julh4 
  • Instagram: @julh4.sg
Julia

Julia emana uma essência que enriquece e e perpetua em nossas mentes um espetáculo de sensações. Natural como a luz do dia, seus conteúdos são puramente a arte que pulsa em seu interior de forma magistral. Um sonho que a mente não deseja esquecer.

Batemos um papo arrebatador sobre os passos como sexworker e as visões que despertaram para a maior compreensão de seu ser. 

Julia

Julia

Para começar a nossa conversa, conte-me como surgiu a ideia de trabalhar com conteúdo adulto e quais foram os caminhos que te levaram até onde está?

Não foi tanto uma ideia, mas algo mais seguindo a maré mesmo haha. Eu entrei no Suicide Girls por curiosidade, porque me diziam que combinava comigo, e na época eu adorava fotografar e já estava trabalhando como modelo sensual.

Depois disso foi meio que uma coisa juntando na outra, quando o OnlyFans surgiu o SG até adicionou um atalho no perfil de todas as meninas para suas páginas no OF, então pensei que poderia ser um bom investimento iniciar no site. Foi um processo de aprendizado e fui criando gosto. 

Há quanto tempo você trabalha com conteúdo adulto?

Comecei no Suicide Girls em 2017, e acredito que o OnlyFans foi em 2019.

Julia
Julia

O que mudou na sua vida desde que assumiu esse trabalho?

Minha relação com meu corpo, minha imagem e meu prazer mudaram muito. Minha cobrança em relação a isso também. Minhas relações amorosas também mudaram muito, porque raramente me relacionei com alguém que pudesse lidar com esse trabalho de forma madura. Aprendi muito sobre edição, fotografia. Houve diversos aprendizados extremamente ricos para mim.

Sobre criação e publicação de conteúdos nas plataformas. Como é o seu processo criativo para bolar os seus conteúdos? Você se inspira em alguém, pesquisa algum tema ou recebe sugestões dos seus seguidores?

Todas essas opções geralmente. Alguns fãs pedem conteúdo específicos, ou objetos incluídos no conteúdo e a partir dos pedidos eu crio ideias. Também uso muito como fonte de inspiração para conteúdo adulto o Twitter de grandes meninas no meio, geralmente essas meninas compartilham o trabalho de outras meninas também e eu procuro muitas ideias de novos ângulos e composições para usar. 

Julia
Julia

Trabalhar com conteúdo adulto mexe com você? Que tipo de sensação esse trabalho provoca na sua essência como pessoa?

Acho que mexe com qualquer um, não é algo simples. Pode ser feito por qualquer pessoa na parte mecânica, mas na parte mental não diria que é um trabalho para todos, pois mexe muito com sua autoestima e sua relação com a própria imagem.

Para mim, foi um processo que me enriqueceu muito, porque quando eu comecei era uma pessoa bem mais retraída e passando por processos extremamente delicados mentalmente, então foi meio que um escape, gosto muito de me expressar corporalmente. E aprendi MUITO em relação ao meu próprio prazer, por muitos anos a masturbação por exemplo era um tabu na minha cabeça, eu sabia que era saudável, mas ainda havia uma parte de mim que se sentia culpada quando estava fazendo, ou mesmo envergonhada. Hoje não tenho mais isso. 

Na sua concepção, o que é ser sensual? Como que você lida com a sua sensualidade?

Acho que isso varia muito da fase que eu estou passando. Eu confesso que pelo fato da minha expressão de sensualidade estar totalmente virada para o meu trabalho, já se tornou algo quase que automático quando eu vou fotografar ou gravar conteúdos.

Mas a minha concepção de sensualidade é algo mais próximo do natural do que do extremamente produzido. Acho que os conteúdos têm a tendência de se tornar cada vez mais elaborados, e eu acho lindo o resultado, mas pra mim nada traz mais poder sensualmente falando do que um conteúdo com realidade tanto na aparência da pessoa como no prazer que ela tenta passar com aquela mídia. Não produzo nenhum conteúdo fingindo ou forçando algo que não estou sentindo de fato.

Julia
Julia

Qual é a razão dos seus suspiros?

Mulheres hahah e fumar meu baseadinho antes de dormir.

O que te deixa mais ligada, erotismo ou pornografia e por quê?

Não sei sinceramente… Acho que pornografia amadora. Não gosto muito como já disse de um conteúdo que eu olho e vejo muita atuação e zero envolvimento.

Julia
Julia

Dentro da produção de conteúdo adulto, você procura se mostrar de uma maneira mais artística, ou segue uma forma mais espontânea, deixando fluir naturalmente?

Eu gosto de deixar fluir naturalmente. Costumo usar maquiagem para fazer conteúdo só às vezes, em grande maioria nem curto me produzir muito. Não tenho muita neura com ângulos também quando estou produzindo especificamente para consumo adulto, porque eu vejo a aceitação e a liberdade em mostrar seu corpo de todos os jeitos também como parte integrante da sensualidade que procuro propor.

Ser exibicionista pode ser considerado uma forma de expressão artística?

Na minha opinião, sim! Acho que devemos lembrar que produzir arte é um universo muito grande, e limitá-lo vai contra a definição de arte. Tudo pode ser arte. 

Julia
Julia

Família, amizades e relacionamentos amorosos, como que é a relação deles com o seu trabalho?

Por muito tempo eu tentei esconder da família por vergonha, mas hoje a família toda sabe e ninguém nunca me tratou diferente por isso. Essa é a minha maior gratidão. Amizades também nunca tive um problema, acho que é até bom porque funciona como um filtro.

Já as relações amorosas, em grande parte as pessoas declaram entender e não ter problema com isso, mas como nunca lidaram de fato com alguém que trabalha com isso, em algum momento sempre surge uma insegurança ou problema. Seja com as pessoas falando comigo ou com minha produção de conteúdo.

O que as pessoas irão ver, acessando os seus conteúdos?

Eu posto tudo de foto, tudo. Faço mais pra ser visto mesmo. Posto fotos de todos os ângulos possíveis e diversificados, vídeos também. Os únicos vídeos que não disponibilizo ao assinar minha página são os acompanhada de homem, de resto tudo é postado. Tem de tudo lá. 

Julia

Já sofreu algum tipo de preconceito por conta de trabalhar com conteúdo adulto? Você acha que nos dias de hoje as pessoas já entendem melhor e aceitam o(a) profissional que segue esta profissão?

Já, mas só na internet. Sempre tem alguém que vem me dizer que o que fazemos não pode ser considerado trabalho porque estamos nos vendendo para satisfazer majoritariamente homens.

Eu acho que as pessoas não entendem. Acho que estão começando a entender, mas acho que na grande maioria não entendem e ainda julgam muito uma mulher por ‘puta’. E qual o problema de ser puta também? Acho que ainda falta um tanto para mulheres que trabalham com seus corpos serem respeitadas, por mais que seja o trabalho mais antigo da humanidade.

Você acredita que em pleno século XXI, com a expansão da comunicação, redes sociais e as plataformas de relacionamento, falar de sexo e expressar a sexualidade ainda é um tabu na cabeça do brasileiro?

Falar de sexo não, todo mundo quer conversar de sexo, trocar ideia e entender melhor o universo da sexualidade dentro de si. Agora, trabalhar com sexo já acredito ser um tabu. A pessoa que tem uma vida profissional focada em sexualidade é vista como fútil ou vulgar. 

Trabalhar e lidar com as pessoas não é tarefa fácil em nenhuma profissão. Você geralmente tem jogo de cintura para lidar com gente “desagradável”? Qual o tipo de atitude que você toma quando uma pessoa está começando a se tornar inconveniente?

Dentro da minha página eu realmente não me importo. Acredito que estou lá dando a cara a tapa e isso também estará incluso. Pessoas não são sempre legais, então trabalhar com público será implícito que terão momentos e falas desagradáveis.

Profissionalmente eu acredito que tenho o jogo de cintura sim, converso tranquilamente e se me falar algo desconfortável eu corto ou deixo claro porque não é algo que me agrada. Se a pessoa insistir, eu não tenho problema em expressar qual é o meu limite. 

Ligado a pergunta anterior, o contato e a exposição pessoal podem se tornar estafante? Como que você lida com o estresse e a ansiedade? Faz algum tipo de terapia ou alguma outra atividade para relaxar?

Eu faço terapia desde antes de iniciar nesse ramo, estou com a mesma analista há 7 anos. Acho que é essencial. 

Julia

Você enfrenta ou já enfrentou dilemas na sua vida? Se já enfrentou ou enfrenta, como é que você lida com isso?

Muitos. Eu gosto bastante de escrever quando algo me perturba, escrevo sobre, leio, releio, levo para minha analista ver e pensarmos sobre porque isso tirou tanto minha paz. Um grande dilema que vivi foi de fato largar a Veterinária e focar no trabalho que faço hoje. No início isso me fazia me sentir muito mal, como se eu tivesse obrigação de ser veterinária por ter tido esse sonho por tantos anos. 

Qual é sua ligação com seus seguidores? Eles são atenciosos?

Sim! Em sua grande maioria sim. Eu tenho fãs no OnlyFans que são super atenciosos e constantes, sempre conversamos sobre a vida e não apenas sobre o conteúdo. Sou muito grata por aqueles que me acompanham.

Julia

O que você não tolera presenciar trabalhando nesse meio?

Preconceito de qualquer forma. Seja homofobia, transfobia, racismo, gordofobia, tudo isso me irrita ao máximo. Tem espaço e nicho pra TODO mundo e ninguém é melhor que ninguém.

Existem pessoas que te inspiram para você fazer o seu trabalho?

Sim! Eu amo a Nayru, Stefania Ferrario, Kerolain Dawud, Penny Suicide, me inspiro um pouquinho em cada uma. 

Julia

Você consegue ter um momento que é só seu? O que gosta de fazer nas horas vagas?

Eu preciso de um momento meu, isso é algo que eu aprendi. Todos os dias eu preciso de um momento para ficar sozinha, ver meu anime e fumar meu baseado. Isso é o que mais me acalma.

Uma música que transpira tesão em sua vida?

Ressurection da MOTHERMARY.

Para as pessoas que desejam iniciar na produção de conteúdo adulto, há alguma dica que você gostaria de passar?

Estude bem o meio, tudo o que pode acontecer e tudo o que você não consegue lidar. Com o “hype” atual nesse meio, muita gente entra desinformada. Não é um trabalho de menos carga horária, se você quer ganhar dinheiro não é postar foto e acabou.

Construir engajamento é o que te trás dinheiro, e quanto mais você estiver disposta a se expor, mais as pessoas vão te conhecer, mas com isso vem diversas consequências. Existe chance de vazar, existe chance de pessoas mudarem com você após, existem diversos desdobramentos que precisam ser enfrentados e compreendidos. 

Chegou a hora! Abra seu coração e deixe um recado para nossos leitores e seus fãs.

Agradeço imensamente todo mundo que me acompanha e apoia meu trabalho, nada seria possível sem isso! <3 

Gostou do post? Conte nos comentários o que você deseja ver no Suspiro e não se esqueça de nos seguir nas redes sociais: 

Deixe seu comentário

Posts relacionados