Subscribe Now
Trending News
Sexworkers

Emily: “Garotas comportadas raramente fazem história”

Emily

Emily incorpora vibrações, adora se aprofundar em seu exibicionismo com naturalidade e adocicadas provocações. Preparada e pronta para mexer com os desejos mais íntimos. 

Batemos um papo sobre sua vida como sexworker e as atitudes que assumiu ao longo do caminho.

Emily

Emily
Emily

Para começar a nossa conversa, conte-me como surgiu a ideia de trabalhar com conteúdo adulto e quais foram os caminhos que te levaram até onde está?

Eu sempre gostei de me exibir, desde bem novinha falava que meu sonho era sair em capa de revista de mulher pelada, que se não tivesse nada a perder viraria atriz pornô. Aí depois de adulta descobri que trabalhar com conteúdo adulto não precisa ser a última opção.

Comecei como uma segunda renda, com incentivo do meu namorado, até que vi que além de mais rentável, me faz deixa mais realizada do que qualquer trabalho “comum” que já tive.

Há quanto tempo você trabalha com conteúdo adulto?

Há mais ou menos 2 anos fiz as minhas primeiras contas, mas que peguei pra levar a sério mesmo, uns 6 meses.

Emily

O que mudou na sua vida desde que assumiu esse trabalho?

Minha saúde mental melhorou muito, a autoestima, agora me sinto no controle da minha rotina e da minha vida.

Sobre criação e publicação de conteúdos nas plataformas. Como é o seu processo criativo para bolar os seus conteúdos? Você se inspira em alguém, pesquisa algum tema ou recebe sugestões dos seus seguidores?

Eu costumo pedir sugestões para fazer o que agrade a mim e ao meu público, mas quando dá vontade de algo, vou lá e faço. Sigo bastante meninas do ramo também para me inspirar.

Emily

Trabalhar com conteúdo adulto mexe com você? Que tipo de sensação esse trabalho provoca na sua essência como pessoa?

A minha essência é exibicionista e sensual, não tenho como negar isso, me sinto pertencida. Eu sigo a filosofia de Marilyn Monroe: “garotas comportadas raramente fazem história“.

Na sua concepção, o que é ser sensual? Como que você lida com a sua sensualidade?

Sabe aquele misto de mistério com brincadeira? Aquele olhar que pode ir tanto pra depravação quanto pra inocência? Pra mim não tem nada mais sensual que essa dualidade.

Emily
Emily

Qual é a razão dos seus suspiros?

Me sentir desejada, saber que sou capaz de realizar fantasias, me sentir poderosa e ao mesmo tempo ser a mocinha romântica que sou na minha vida privada.

O que te deixa mais ligada, erotismo ou pornografia e por quê?

Sou uma mulher direta, prefiro a pornografia, gosto de chegar direto ao ponto.

Emily
Emily

Dentro da produção de conteúdo adulto, você procura se mostrar de uma maneira mais artística, ou segue uma forma mais espontânea, deixando fluir naturalmente?

Depende. O meu espontâneo é artístico. Eu gosto da performance e isso é natural pra mim.

Ser exibicionista pode ser considerado uma forma de expressão artística?

Com certeza, corpo é arte. Sexo é uma manifestação artística, é lindo.

Família, amizades e relacionamentos amorosos, como que é a relação deles com o seu trabalho?

Acho que não é novidade pra ninguém que eu seguiria esse caminho, minhas amigas já estão habituadas com minha sexualidade intensa.

Quanto aos meus parentes, sinceramente, não me importo com o que pensam, ninguém nunca me criticou na minha frente, mas eu sou adulta e independente, não faz nem sentido. O único que me importa é meu namorado, que é meu maior incentivador, me apoia, ajuda a produzir. Na nossa família a liberdade é um dos pilares principais.

O que as pessoas irão ver, acessando os seus conteúdos?

Fotos e vídeos de uma mocinha fazendo coisinhas bem legais. Lembrando que sou fetichista ao extremo e sem tabus, me considero especialista em fetiches. Uma das coisas que gosto muito é de ser subestimada por ser pequena e considerada fofa, mas fazer as coisas mais depravadas.

Emily

Já sofreu algum tipo de preconceito por conta de trabalhar com conteúdo adulto? Você acha que nos dias de hoje as pessoas já entendem melhor e aceitam o(a) profissional que segue esta profissão?

Ah, acho que o que ouvi é bem comum entre as SW. Coisas como se eu não tivesse nenhum estudo e por isso escolhi essa área, que não sou uma namorada confiável, que meu namorado vai ser traído, que é trabalho fácil ou que eu sou “fácil”.

Eu vivo em uma bolha de pessoas que entendem melhor a profissão, mas se sair dela já escuto baboseira.

Você acredita que em pleno século XXI, com a expansão da comunicação, redes sociais e as plataformas de relacionamento, falar de sexo e expressar a sexualidade ainda é um tabu na cabeça do brasileiro?

Acho que apesar do avanço, ainda temos o extremo conservador e a nova era good vibes que considera o sexo algo muito especial para ser exposto da forma que fazemos, ainda não temos muita liberdade com o assunto.

Emily

Trabalhar e lidar com as pessoas não é tarefa fácil em nenhuma profissão. Você geralmente tem jogo de cintura para lidar com gente “desagradável”? Qual o tipo de atitude que você toma quando uma pessoa está começando a se tornar inconveniente?

Eu sou muito paciente, respondo, converso, mas quando vejo que estou só perdendo tempo passo a ignorar.

Ligado a pergunta anterior, o contato e a exposição pessoal podem se tornar estafante? Como que você lida com o estresse e a ansiedade? Faz algum tipo de terapia ou alguma outra atividade para relaxar?

O que mais ajuda a manter minha cabeça no lugar são: psicóloga, religião e meu namorado.

De hobbies gosto de jogos de tabuleiro, filmes repetidos, toco atabaque, dates fofinhos e documentários.

Emily

Você enfrenta ou já enfrentou dilemas na sua vida? Se já enfrentou ou enfrenta, como é que você lida com isso?

Acho que o principal foi a vontade de fazer o que quero e o medo do futuro incerto. Mas percebi que enquanto sentia medo do que poderia acontecer, estava desperdiçando tempo de ser feliz no presente.

Qual é sua ligação com seus seguidores? Eles são atenciosos?

Tenho bastante interação, eu adoro interagir, conversar, não quero ter apenas contatos de compra e venda, quero que me vejam como uma pessoa, que me conheçam e vice-versa.

O que você não tolera presenciar trabalhando nesse meio?

Homens achando que por estarem pagando, a mulher deve fazer qualquer coisa, na hora que querem e como querem. Mulheres atacando outras mulheres ao invés de se ajudarem.

Existem pessoas que te inspiram para você fazer o seu trabalho?

Cada hora que abro o Instagram ou o Câmera Privê acho uma inspiração diferente.

Você consegue ter um momento que é só seu? O que gosta de fazer nas horas vagas?

Não gosto muito de ficar sozinha, mas quando fico gosto mesmo é daquela faxina haha gosto de dançar e fazer um cuidado pessoal completinho.

Uma música que transpira tesão em sua vida?

Pillowtalk – Zayn. Tem a frase “na cama o dia todo, transando e brigando, é nosso paraíso e nossa zona de guerra”, acho ótimo pra quem adora uma vibe mais hard.

Para as pessoas que desejam iniciar na produção de conteúdo adulto, há alguma dica que você gostaria de compartilhar com eles(as)?

Tenha certeza do que quer. Se tiver vergonha, restrição por família ou namorados, pense bem se quer bater de frente e encarar as críticas, planeje seu futuro. Lembre-se que seu corpo não ficará o mesmo para sempre.

Independente da forma do seu corpo, toda mulher tem uma sensualidade, explore ela da forma que se sente mais confortável. Primeiro você, depois os outros, não se force a nada.

Chegou a hora! Abra seu coração e deixe um recado para nossos leitores e seus fãs.

Estou aqui pra quem quer vivenciar seus fetiches sem medo de julgamento, eu adoro entrar de cabeça nas ideias mais doidas, vamos aproveitar tudo que nossa mente e nossos corpos podem nos oferecer.

Obrigada pela oportunidade de mostrar mais de mim e por quem acompanha!

Gostou do post? Conte nos comentários o que você deseja ver no Suspiro e não se esqueça de nos seguir nas redes sociais: 

Deixe seu comentário

Posts relacionados